BRAIP ads_banner

Maurício Pestana: Oprah Winfrey, uma luz para os dias de hoje

CasaNotícias

Maurício Pestana: Oprah Winfrey, uma luz para os dias de hoje

Nunes Marques prorroga por mais 90 dias prazo para Minas Gerais aderir ao Regime de Recuperação Fiscal
PM do Rio prende um fuzil de origem americana a cada dois dias
Apontado como assassino de Marielle já reduziu pena em 200 dias lendo livros

Não existe nenhum problema no mundo que não seja resolvido melhor por uma equipe diversa. Nenhum! Cada membro da equipe traz uma perspectiva diferente, a partir das suas próprias experiências de vida. Se você está dirigindo uma empresa, você sabe que, mesmo na sua própria família, cada criança é diferente. Elas vêm cada uma com suas próprias qualidades. São diversas!

Oprah Winfrey

Poderia dizer que essa foi a melhor frase proferida pela apresentadora, filantropa, empresária e, acima de tudo, uma das maiores inspirações neste período conturbado pelo qual passa a humanidade.

Oprah Winfrey, que pela primeira vez palestrou em solo brasileiro, falou para uma seleta plateia formada por empresários, artistas e formadores de opinião que vieram de várias partes do país para assisti-la.

Nascida no sul dos Estados Unidos, e mesmo enfrentando todas as adversidades de uma criança negra com poucos recursos em um país racista e excludente da metade do século passado, a apresentadora contou apenas com uma ferramenta para chegar ao topo que almejava: a educação.

E foi por meio deste instrumento – e de muita fé em Deus, como frisou por várias vezes – derrubando todos os obstáculos para se tornar uma das mulheres mais ricas e influentes do mundo.

Indagada pela atriz Taís Araújo sobre como é estar em locais de poder econômico que ainda hoje, na maioria das vezes, são espaços brancos, e se ela se sentia só, a apresentadora não titubeou: “Quando estou em um lugar que só tem branco, não me sinto só, porque, se estou ali, é porque eu tinha que estar neste lugar”.

Em uma plateia de visível maioria feminina, temas como machismo, sexismo e violência doméstica também circundaram a fala de Oprah, que, em formato de entrevista, emocionou as pessoas presentes, como Luiza Trajano, um dos maiores nomes do empresariado brasileiro, que tem levantado esses temas no meio corporativo brasileiro.

Foi uma palestra completa, com uma fala que atingiu diversos públicos: mulheres negras, empresários, ativistas, investidores e até religiosos.

Não houve um só tópico elencado por Oprah que alguém ali não tenha se sentia tocado, o que me fez refletir sobre o porquê da entrevistadora, que já encarou de Barack Obama a Nelson Mandela, e também pessoas muito simples, anônimas, conseguir até hoje a admiração e o respeito de todos.

A resposta é simples: Oprah Winfrey é uma mulher que tem o dom de tocar profundamente o coração das pessoas com simplicidade.

De tudo que pude ouvir ali, naquela uma hora e meia de palestra, o que mais me marcou foi quando ela disse: “Compreendo minha origem, e sei exatamente onde quero estar, sem esquecer de onde vim”.

As palavras de Oprah ficarão marcadas para sempre, não como uma palestra motivadora, do tipo “autoajuda”, muito comum nos dias de hoje. A sua fala é inspiradora porque traz a testemunha viva de alguém que vivenciou em seus 70 anos de vida tudo aquilo de bom e ruim que emerge em sociedades desiguais, como as de Brasil e Estados Unidos, mas, com resiliência, fé e educação, conseguiu vencer, e hoje, além de servir de exemplo, também ajuda a fomentar outras Oprah Winfrey mundo afora.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner