BRAIP ads_banner

Bitcoin tem 4º dia seguido de queda e ameaça perder os US$ 61 mil | Criptomoedas

CasaNotícias

Bitcoin tem 4º dia seguido de queda e ameaça perder os US$ 61 mil | Criptomoedas

Bitcoin e Ethereum têm forte queda em dia de aversão a riscos no mercado
Weider Silveiro abre 4º dia de SPFW exaltando ornamentos africanos
Dia da Mulher Sambista: veja cinco cantoras que fizeram história no gênero

O bitcoin (BTC) opera em queda nesta quinta-feira (9) pelo quarto dia consecutivo e ameaça perder os US$ 61 mil. A falta de ímpeto comprador desde a última divulgação de dados macroeconômicos dos Estados Unidos já tem tido efeitos até na mineração da maior das criptomoedas em valor de mercado. O site “The Block” aponta que a dificuldade de minerar bitcoin caiu 5,7% hoje, em seu maior ajuste negativo em 18 meses.

Perto das 9h12 (horário de Brasília) o bitcoin cai 2,1% em 24 horas, cotado a US$ 61.124 e o ether, moeda digital da rede Ethereum, tem baixa de 0,9% a US$ 2.978, conforme dados do CoinGecko. O valor de mercado somado de todas as criptomoedas do mundo é de US$ 2,38 trilhões. Em reais, o bitcoin apresenta desvalorização de 0,94% a R$ 316.004, enquanto o ether registra leve ganho de 0,16% a R$ 15.388, de acordo com valores fornecidos pelo MB.

Entre as altcoins (as criptomoedas que não são o bitcoin), a solana (SOL) recua 2% a US$ 143,09, o BNB (token da Binance Smart Chain) tem alta de 1,6% a US$ 595,62 e a avalanche (AVAX) cai 1,1% a US$ 34,17.

Beto Fernandes, analista da Foxbit, ressalta que a macroeconomia não ofereceu muito aos mercados nesta semana. “Foram poucos os dados relevantes lá fora, com exceção de discursos de alguns representantes do Federal Reserve [o banco central dos EUA], que seguiram a linha do baixo impacto dos juros elevados no longo prazo, dando a entender que o corte da taxa pode ficar para depois mesmo”, afirma.

Segundo Tasso Lago, especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move, o mercado cripto segue sem muita volatilidade e com baixo volume. “Não existe nenhuma outra grande expectativa além da análise pela [Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos] SEC do ETF de ether à vista, que vence em 17 dias. No geral, o mercado segue lateral. O maior suporte do bitcoin, ou seja, a melhor zona de compra seria nos US$ 50 mil a US$ 53 mil e, no caso do ether, em torno de US$ 2.700 a US$ 2.800”, avalia.

Vale lembrar que o mundo cripto já praticamente jogou a toalha em relação à possibilidade de aprovação de um ETF da segunda maior criptomoeda do mundo. A falta de comunicação da SEC com os aplicantes e a desistência ontem da Grayscale de lançar o seu ETF de futuros de ETH são sinais pouco animadores para quem pensava em um rali do Ethereum como o registrado pelo bitcoin quando os fundos foram aprovados.

Usando análise técnica, Fernando Pereira, analista da Bitget, comenta que o bitcoin está buscando a região dos US$ 60 mil, onde a demanda deve voltar a subir e o volume de negociação aumentar.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner