BRAIP ads_banner

Trump enfrenta seu 1º julgamento criminal em caso de pagamento de suborno

CasaNotícias

Trump enfrenta seu 1º julgamento criminal em caso de pagamento de suborno

Enquete BBB 24: 1º Paredão apenas entre amigos terá alta rejeição
Câmara de São Paulo aprova projeto sobre privatização da Sabesp em 1º turno
Alfa Romeu troca nome de seu 1º elétrico após impasse com governo italiano

O ex-presidente dos EUA Donald Trump enfrentará tribunal nesta segunda-feira (15) por acusações criminais decorrentes de dinheiro secretamente pago a uma estrela pornô em 2016, quando venceu as eleições presidenciais.

Trump escreveu em sua plataforma de mídia social Truth Social no domingo (14) que estará lutando por si mesmo, “mas, muito mais importante, estarei lutando por nosso país” na véspera de seu julgamento em Nova York.

“Há apenas quatro anos, eu era um presidente dos EUA muito popular e bem-sucedido, obtendo mais votos do que qualquer presidente em exercício na história. Amanhã de manhã estarei no Tribunal Criminal, diante de um juiz totalmente em conflito, de um promotor corrupto, de um sistema legal CAÓTICO, um Estado sendo invadido por crimes violentos e corrupção, e os capangas do corrupto Joe Biden ‘manipulando o sistema’ contra seu oponente político, EU”, escreveu Trump.

A acusação diz que Trump encobriu o pagamento de US$ 130 mil, que supostamente teria sido depositado à atriz pornô Stephanie Clifford – conhecida como Stormy Daniels –, em troca de seu silêncio antes da eleição presidencial de 2016 sobre uma relação extraconjugal que ela disse ter tido com Trump uma década antes.

 

Trump alega que o dinheiro teria sido pago, na verdade, ao seu ex-advogado, Michael Cohen.

Donald Trump e Stormy Daniels em 2006 / Reprodução/Redes sociais

Ao todo, são 34 acusações em curso sobre falsificação de registros comerciais, todas negadas por Trump, que também nega o encontro com Daniels.

O caso é uma das quatro acusações criminais que Trump enfrenta enquanto se prepara para desafiar o presidente democrata Joe Biden na revanche das eleições de 5 de novembro nos EUA.

O republicano procurou adiar os procedimentos judiciais em todos os casos até depois das eleições, e o caso do silêncio é o único com data confirmada de julgamento.

Os outros casos decorrem dos seus esforços para anular a derrota eleitoral de 2020 para Biden e da forma como lidou com documentos governamentais sensíveis após deixar a presidência em 2021.

(Publicado por Gustavo Zanfer, da CNN; com informações de por Paul Vieira, da Reuters)

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner