BRAIP ads_banner

Político de extrema direita da Alemanha vai a julgamento acusado de usar slogan nazista

CasaNotícias

Político de extrema direita da Alemanha vai a julgamento acusado de usar slogan nazista

Empresário é preso acusado de instalar câmera escondida em casa alugada em GO
Caso Marielle: Justiça nega novo pedido de transferência de acusado pela morte da vereadora
CGU aplica sanção a ex-presidente da Fundação Cultural Palmares acusado de assédio

Um importante membro do partido de extrema direita “Alternativa para a Alemanha” (AfD) compareceu ao tribunal, nesta quinta-feira (18), acusado de usar um slogan paramilitar nazista proibido.

Bjoern Hoecke, chefe da AfD no estado oriental da Turíngia, faz parte da ala nacionalista da AfD, oficialmente designada pela agência de inteligência nacional como “extremista de direita”.

O caso surge num momento em que a AfD, que ocupa o segundo lugar nas pesquisas nacionais, atrás dos conservadores da oposição, está sob escrutínio devido a relatos de que algumas figuras importantes do partido discutiram a deportação de pessoas de origem não étnica alemã.

Cerca de 300 manifestantes se reuniram em frente ao tribunal na cidade de Halle, no leste do país, segurando cartazes com os dizeres: “Bjoern Hoecke é um nazista” antes de ele entrar na sala lotada do tribunal com um leve sorriso, carregando arquivos e vestindo um terno escuro.

Após alguns atrasos devido à forte segurança, seus advogados dirigiram-se ao tribunal.

Os promotores dizem que Hoecke encerrou um discurso de campanha na cidade de Merseburg, no leste, em maio de 2021, com as palavras “Tudo pela Alemanha!”.

Esta frase é proibida na Alemanha porque era um slogan usado pelas tropas de choque nazistas da SA.

Seus advogados argumentam que ele não sabia que as palavras foram proibidas e o próprio Hoecke, professor de história, disse na semana passada em um debate na televisão que não tinha conhecimento da origem da frase e afirma que este caso é sobre liberdade de expressão.

Ele também foi acusado de usar o termo em um evento festivo em dezembro em Gera, quando, argumentam os promotores, ele disse: “Tudo pela…” antes de usar gestos para encorajar seu público a dizer a última palavra por ele, ciente de que ele enfrentaria acusação por terminar ele mesmo a frase.

Na Alemanha, o uso de slogans e símbolos ligados a grupos anticonstitucionais, incluindo o partido nazista, é ilegal.

Se condenado, Hoecke poderá enfrentar multa ou pena de prisão de até três anos e também poderá ser impedido de ocupar cargos públicos.

Hoecke é uma figura influente na AfD, que se deslocou para a direita desde que foi fundada como um partido antieuro em 2013.

Ele chegou repetidamente às manchetes devido às suas opiniões, e um tribunal disse que ele pode ser descrito como um fascista. Ele também enfrenta um julgamento separado por suspeita de incitamento ao ódio.

Em 2018, ele chamou o memorial do Holocausto em Berlim de “monumento da vergonha” e disse que os alemães precisam reverter a forma como olham para o seu passado e adotar uma abordagem mais positiva.

Ele foi proibido de entrar no campo de concentração de Buchenwald em 2017 devido às suas opiniões revisionistas.

No estado da Turíngia, onde a AFD lidera as sondagens com cerca de 30%, o partido poderá obter a maioria dos votos nas eleições de 1 de Setembro.

Mas até agora nenhum outro partido esteve preparado para cooperar com ele, por isso não está claro como poderia formar um governo de coligação.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner