BRAIP ads_banner

Musk x Moraes: Falta clareza sobre fronteiras políticas e digitais, diz especialista

CasaNotícias

Musk x Moraes: Falta clareza sobre fronteiras políticas e digitais, diz especialista

Quase 40% das pessoas não querem ser promovidas em meio a mercado de trabalho desgastante, diz pesquisa
“Não houve violação da cena do crime“, diz PM sobre vídeo que mostra policiais mexendo em local onde criança foi ferida em tiroteio
Ataque foi “limitado“ e para “mostrar direito de autodefesa“, diz embaixador do Brasil no Irã à CNN

Em meio aos embates entre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e o dono do X (antigo Twitter), Elon Musk, o debate sobre a regulação de mídias digitais e redes sociais voltou a dominar as conversas no mundo online.

Qual a relação entre o caso Musk x Moraes e este debate? Para André Vellozo, CEO da Drumware, a relação é clara. “A questão aqui é soberania. E a soberania está na questão dos dados hoje”, disse Velloso à CNN.

“Se você olha na história, a forma com que outros países lidaram com esse tema, por exemplo, a China expulsou companhias de tecnologia de lá. Já Europa, recentemente, ela criou o GDPR [Regulamento Geral de Proteção de Dados], que é a regulamentação de privacidade de dados. A Europa falou: ‘olha, a gente é muito mais sofisticado e a gente não vai expulsar ninguém daqui, mas a gente vai montar todo o mundo”, esclarece o especialista.

Nos últimos dias, Elon Musk fez uma série de postagens contra Alexandre de Moraes cujas medidas podem ter como desfecho a proibição do X no Brasil.

O empresário pede a renúncia ou impeachment do magistrado sob alegação que as exigências de Moraes para a plataforma “violam a legislação brasileira”.

No último sábado (6), Musk anunciou que liberaria contas na rede social que haviam sido bloqueadas por decisões judiciais.

Esta decisão pode beneficiar uma série de influenciadores e expoentes do bolsonarismo, que estão com seus perfis suspensos.

Musk alega que as “multas pesadas” aplicadas pelo ministro estão fazendo a rede social perder receitas no Brasil. Por esse motivo, o dono da Tesla ameaça fechar o escritório do X no país.

Para Vellozo, o que está acontecendo no caso de Elon Musk e Alexandre de Moraes “é uma falta de clareza e de entendimento do que são as fronteiras políticas, financeiras e digitais do mundo”.

Os países estão competindo por uma posição na “economia de dados”, segundo o especialista, e isso tem consequências além da internet. “Imagina os dados da Amazônia, o valor dos dados de uma Amazônia inteira, o tamanho disso; imagina os dados da população toda brasileira, as opiniões, o que as pessoas fazem, o comportamento de consumo. Tudo isso faz o que é o país”, exemplifica. Assim, segundo Velloso, os países estão tentando se precaver para garantir a soberania sobre os dados gerados dentro de suas fronteiras.

“Essa questão da soberania passa por uma coisa que chama DPI hoje no mundo, que é a infraestrutura pública de dados”. A DPI (Deep packet inspection, em inglês) é uma tecnologia que analisa o tráfego de dados na internet, identificando o tipo de conteúdo transmitido e o aplicativo ou serviço utilizado. Este assunto “está na mesa das discussões geopolíticas do G20, da Índia, do Oriente Médio e do mundo inteiro. Isso é super relevante e isso vai escalar no mundo inteiro de formas diferentes”, conclui.

*Com informações de Renata Souza

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner