BRAIP ads_banner

Medicamentos para perda de peso podem desequilibrar balanças na Ásia em breve

CasaNotícias

Medicamentos para perda de peso podem desequilibrar balanças na Ásia em breve

Irã alerta que responderá a países que abrirem seu espaço aéreo para ataques israelenses
FBI diz que hackers chineses se preparam para “golpe devastador” contra os EUA
Jardinagem é uma ótima atividade para a saúde; conheça os benefícios para a mente e o corpo

Análise feita por Michael Shah, analista sênior, e John Lee, analista da Bloomberg Intelligence. Exibido antes no Terminal Bloomberg.

Medicamentos para perda de peso como Wegovy, Ozempic e Mounjaro estão gerando ondas de esperança e entusiasmo nos EUA. Há mais investidores interessados, o que faz com que as capitalizações de mercado da Novo Nordisk e da Eli Lilly disparem para os níveis das empresas mais valiosas do mundo. Em cinco gráficos, analisamos o potencial dos medicamentos para perda de peso na Ásia e as implicações para a Innovent.

As vendas de medicamentos para combate à obesidade poderiam desafiar a gravidade

As vendas mundiais de medicamentos antiobesidade podem atingir US$ 44 bilhões em 2030, em comparação com US$ 2,5 bilhões em 2022, com os gigantes da indústria farmacêutica Novo Nordisk e Eli Lilly liderando o ritmo. Essa estimativa da Bloomberg Intelligence foi baseada em medicamentos já no mercado e em ensaios clínicos de fase 3, e assume uma taxa conservadora de penetração no mercado dos EUA de 5% até 2030. Medicamentos em estágio inicial geraram dados promissores desde então, deixando a porta aberta para que essa cifra atinja até US$ 60-70 bilhões, segundo o analista Michael Shah, excluindo o potencial total de vendas na China.

Por que agora? Uma maior eficácia está elevando as expectativas

As terapias para obesidade de primeira geração — antes de 2005 — estavam associadas a uma perda de peso inferior a 5%, enquanto a segunda geração — antes de 2020 — colocava 10% ao alcance, incluindo o Saxenda da Novo. Os mais recentes, da terceira geração, incluindo o Wegovy, têm sido associados a uma perda de peso de até 18% em seus ensaios de fase 3, enquanto o Mounjaro, ou tirzepatida, da Eli Lilly, demonstrou resultados superiores a 20%.

Mercado de obesidade na China é uma oportunidade considerável

A obesidade, definida como ter um índice de massa corporal (IMC) de 30 ou mais, poderia afetar 115 milhões de adultos na China até 2030, pouco atrás dos Estados Unidos. Os preços de venda de medicamentos para perda de peso ou antiobesidade na China provavelmente serão substancialmente mais baixos do que nos EUA. Embora não seja uma comparação direta, o liraglutide da Huadong Medicine — uma versão genérica do Saxenda da Novo — custa aproximadamente US$ 1.600 por ano na China, menos de um décimo do custo bruto anual de US$ 17.500 do Wegovy da Novo nos EUA.

Medicamento da Innovent para obesidade mostra ser promissor

A Innovent está bem posicionada para se beneficiar do aumento das vendas de medicamentos para perda de peso na China, de acordo com Leslie Yang, analista da BI. A Innovent possui um acordo de licenciamento com a Eli Lilly para o desenvolvimento e comercialização de mazdutide 9 mg na China, e está se mostrando promissor. Após 24 semanas, o mazdutide de 9 mg mostrou uma perda de peso competitiva em comparação com o tirzepatide da Eli Lilly, embora isso precise ser replicado em ensaios de fase 3 maiores. O medicamento mostrou uma perda de peso ajustada ao placebo de 15,4% nos testes de fase 2 em adultos chineses obesos, o que se compara favoravelmente à redução de peso ajustada ao placebo de 12% do tirzepatide (15 mg) em um momento semelhante na fase 3, e em paralelo aos dados da fase 2 para o retatrutide da Eli Lilly. O mazdutide de 9 mg não levantou preocupações relevantes de segurança durante a fase 2, apesar dos dados limitados.

Rivalidade na China pode aumentar

A Innovent poderia iniciar os ensaios de fase 3 para o mazdutide de 9 mg no segundo semestre e para o mazdutide de 6 mg para obesidade até o primeiro semestre de 2024, com o respaldo de dados positivos. Até o momento, o liraglutide da Huadong e o beinaglutide da Benemae são os primeiros GLP-1s aprovados para obesidade na China, e uma decisão está pendente para o Wegovy. No entanto, ao contrário da dosagem semanal conveniente do Wegovy ou do mazdutide, o liraglutide é administrado uma vez ao dia e o beinaglutide três vezes ao dia.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner