BRAIP ads_banner

Maserati GranCabrio Folgore é conversível com tecnologia da Formula E

CasaNotícias

Maserati GranCabrio Folgore é conversível com tecnologia da Formula E

Salgueiro anuncia enredo para o Carnaval 2025; saiba qual é
Reajuste do salário mínimo deve custar cerca de R$ 36 bilhões para o governo em 2025
Acordo com a Globo pode fazer Palmeiras e São Paulo lucrarem mais de R$ 100 milhões e Flamengo deixar de ganhar quase R$ 400 milhões; entenda

A Maserati prometeu que terá uma linha totalmente elétrica até 2028 e está correndo para isso. O primeiro passo foi criar a linha elétrica Folgore — ou raio, em italiano — que estreou com o GranTurismo.

Como é normal no mundo automotivo, todo cupê esportivo tem a sua versão conversível. Neste caso, o GranCabrio, que acaba de ser eletrificado e se tornar, segundo a marca, o primeiro cabriolet de luxo elétrico do mundo. O título vai depender do que é considerado luxuoso para cada um, mas, de fato, a Maserati saiu na frente das conterrâneas Ferrari e Lamborghini.

Apesar de ser esteticamente idêntico ao cupê — com exceção do teto, é claro — o GranCabrio Folgore aparenta ser mais sofisticado que o irmão. Talvez seja culpa da cor rosa claro escolhida para apresentar o modelo, bem mais elegante que o cinza do GranTurismo.

No geral, o conversível tem poucas linhas e ângulos retos, optando por formas mais curvas que ficam nítidas nos para-lamas. Elas deixam o carro elegante, mas, ao mesmo tempo, não tiram sua esportividade.

Por dentro, podemos ver mais do equilíbrio alcançado pela marca entre o esportivo e o luxo. Os bancos, por exemplo, são do tipo concha, como em um carro esportivo, mas todo o design e acabamento é voltado para a elegância.

Maserati GranCabrio Folgore / Divulgação/Maserati

O painel chama a atenção por ser bem limpo, livre de botões e comandos, enquanto a tela fica em uma posição mais baixa que o normal. Segundo a Maserati, isso foi feito para que o motorista desvie menos a atenção e mantenha os olhos na estrada.

Partindo para a parte mecânica, a Maserati decidiu importar tecnologia dos seus carros da Fórmula E. É o caso da arquitetura elétrica de 800 volts e dos inversores de carboneto de silício, esse último responsável por um controle maior da potência dos motores e menor perda de potência típica dos inversores normais.

São três motores ao todo: um dianteiro e dois traseiros. Na maior parte do tempo, eles entregam juntos 760 cv, mas se você decidir utilizar toda a potência disponível, poderá chegar aos 829 cv e 137 kgfm.

Os motores são criações da própria Maserati e a distribuição de potência e torque torna o conversível bem versátil. É possível escolher se o GranCabrio irá se comportar como um carro de tração traseira ou integral. Em modo RWD, a montadora afirma que é possível jogar até 400 cv em apenas uma das rodas.

A bateria que alimenta todo conjunto tem 92,5 kWh de capacidade bruta, dos quais 83 kWh são utilizáveis. Ela garante 445 km de alcance máximo, segundo o ciclo WLTP, que podem ser recarregados rapidamente graças à arquitetura de 800 volts.

Segundo a Maserati, é possível carregar de 20% a 80% em 15 minutos, ou então recuperar cerca de 100 km de autonomia em apenas cinco minutos.

Para conseguir rodar tanto com o GranCabrio é necessário usar o modo de condução Max Range, que diminui a potência entregue, a resposta do acelerador e as funções de climatização em troca de mais alcance. Já o modo Sport, como o nome sugere, foca primeiro na esportividade, enquanto o GT é o mais equilibrado de todos.

O modo de condução Corsa é o que desbloqueia todo o potencial dos três motores. Ele pode ainda ser combinado com o modo Max Boost, que libera todos os 829 cv para fazer de 0 a 96 km/h (0 a 60 mph) em 2,8 s e atingir a velocidade máxima em 289 km/h. Também é possível combiná-lo com o modo Endurance, que economiza um pouco mais de bateria para você aproveitar um track day sem a necessidade de ficar parando muitas vezes para recarregar.

O Maserati GranCabrio ainda não tem uma data certa para estrear, mas está previsto para o final deste ano. Quanto ao preço, a estimativa é que ele custe na casa dos US$ 200 mil, aproximadamente R$ 1 milhão.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner