BRAIP ads_banner

Trump sofre terceira derrota em três dias na tentativa de adiar julgamento do caso Stormy Daniels

CasaNotícias

Trump sofre terceira derrota em três dias na tentativa de adiar julgamento do caso Stormy Daniels

O dia que não acabou: Trauma e cheiro de morte nos locais atacados pelo Hamas no sul de Israel
‘Há dificuldade de diferenciar palavras de ações’, diz ativista americano crítico de Moraes; ouça
Petz: CEO Sergio Zimerman foi palhaço, tentou ter franquia da Cobasi e usou um tigre para atrair clientes na primeira loja

NOVA YORK – Pela terceira vez em três dias, a Justiça de Nova York rejeitou o esforço de última hora do ex-presidente Donald Trump, que tenta adiar o julgamento do caso Stormy Daniels, previsto para começar na próxima segunda-feira, 15.

O tribunal de apelações do Estado decidiu rapidamente contra o último recurso da defesa, que pedia uma pausa do processo enquanto tentam afastar do caso o juiz Juan Merchan. Os advogados alegam que haveria um conflito de interesses em razão do trabalho de sua filha como consultora política democrata. O magistrado afirma que um painel de ética concluiu, no ano passado, que não havia conflito.

A moção foi apresentada nesta quarta-feira, 10, e rejeitada minutos depois da audiência pela juíza Ellen Gesmer, do tribunal de apelações de Nova York. Foi a terceira derrota que Trump sofreu esta semana no esforço de adiar o julgamento criminal, que deve ser o primeiro envolvendo um ex-presidente dos Estados Unidos.

Na segunda, a Justiça havia negado outro recurso da defesa, que pedia adiamento enquanto o recurso para tirar a ação do distrito de Manhattan fosse analisado. No mesmo dia, os advogados entraram com outro pedido separado de pausa no processo, rejeitado na terça.

Ex-presidente Donald Trump visita rede de restaurantes, 10 de abril de 2024. Foto: Jason Allen/Associeted Press

Em paralelo, a defesa também tem argumentado que Trump seria imune das acusações, tese que já foi rejeitada pelo juiz Juan Merchan.

As moções são parte da estratégia que tem sido adotada pela defesa de Donald Trump em todos os processos: esgotar os recursos e tentar empurrar as conclusões para depois das eleições.

No caso Stormy Daniels, o julgamento estava previsto inicialmente para começar em 25 de março, mas o juiz concordou em adiá-lo depois que novos documentos foram adicionados ao processo. Trump enfrenta 34 acusações relacionadas às manobras fiscais para esconder o pagamento de US$ 130 mil a atriz pornô Stormy Daniels durante a campanha, em 2016. A suposta compra de silêncio teria o objetivo de esconder um caso, o que o ex-presidente sempre negou.

Em 20 maio, está previsto o julgamento do caso envolvendo os documentos secretos encontrados na mansão de Mar-a-Lago, na Flórida, mas é dado como certo que esse cronograma não deve ser cumprido. A juíza Aileen Cannon rejeitou a moção da defesa que tentava derrubar o caso, mas uma audiência sobre o começo do julgamento terminou sem resposta.

Enquanto tenta voltar à Casa Branca, Trump responde ainda a dois processos criminais em que é acusado de tentar reverter a derrota para Joe Biden, em 2020, um do Departamento de Justiça e outro no Estado da Georgia. Esses ainda não tem data marcada para ir à julgamento./Com AP e NY Times

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner