BRAIP ads_banner

Luvas ensanguentadas e acusação de racismo: julgamento de O.J. Simpson marcou os EUA

CasaNotícias

Luvas ensanguentadas e acusação de racismo: julgamento de O.J. Simpson marcou os EUA

Câmara aprova legislação que pode proibir o TikTok nos EUA em meio a votação de alto risco sobre ajuda externa
Taiwan discutirá ajuda com os EUA enquanto aviões de guerra chineses se aproximam
Mulher morre após cair de penhasco de 42 metros de altura nos EUA

Em 1995, o ex-jogador O.J. Simpson foi absolvido dos assassinatos brutais de sua ex-esposa, Nicole Brown Simpson, e de seu amigo, Ron Goldman. O caso ficou conhecido como “julgamento do século” e marcou a história dos Estados Unidos.

Simpson se declarou “100% inocente” e reuniu um “time dos sonhos” de famosos advogados locais e nacionais, incluindo o advogado de direitos civis Johnnie Cochran, os famosos advogados de defesa F. Lee Bailey e Alan Dershowitz e o especialista em DNA Barry Scheck. Também estava na equipe o amigo de Simpson, Robert Kardashian, pai das irmãs Kardashian.

Os promotores principais Marcia Clark e Chris Darden se concentraram na linha do tempo, na violência doméstica e nas evidências de DNA encontradas na luva ensanguentada descoberta na cena do crime e em outra em uma propriedade de O.J. Simpson.

Mas o “time dos sonhos” levantou dúvidas sobre o tratamento das evidências pela polícia e acusou um dos detetives principais, Mark Fuhrman, de preconceito racial. Embora Simpson nunca tenha desposto, um dos momentos mais fascinantes foi quando o promotor Darden pediu a Simpson que calçasse as infames luvas – uma das quais a polícia disse ter sido encontrada na cena do crime, a outra na propriedade de Simpson.

Simpson teve dificuldade de fazer isso na frente dos jurados, mostrando como as luvas não serviam. Em seu resumo, Cochran pronunciou a agora famosa frase: “Se não couber, você deve absolver”.

O caso se tornou uma sensação no noticiário da TV a cabo e uma obsessão nacional, à medida que dezenas de milhões de telespectadores sintonizavam em casa e no trabalho.

O julgamento durou pouco mais de oito meses, desde as declarações iniciais até o veredicto.

Em 3 de outubro de 1995, quando o veredicto de “inocente em todas as acusações” foi lido, Cochran virou-se e gritou: “Sim!”

Kardashian parecia atordoado. Simpson finalmente abriu um sorriso, suspirou profundamente e murmurou “obrigado, obrigado” ao júri.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner