BRAIP ads_banner

Israel e Irã: o que se sabe sobre ataque aéreo até agora

CasaNotícias

Israel e Irã: o que se sabe sobre ataque aéreo até agora

Irã alerta que responderá a países que abrirem seu espaço aéreo para ataques israelenses
Constellation: Um passeio aéreo e musical pelas ondas do Rádio
Jordânia, Iraque e Líbano reabrem espaço aéreo após ataque iraniano contra Israel

O ataque aéreo realizado contra o Irã nesta sexta-feira (19), ocorrido após uma série de ações retaliatórias entre o país e Israel nas últimas semanas, representa uma escalada potencialmente perigosa do conflito no Oriente Médio, na medida em que tira das sombras uma guerra que já dura décadas e a desvela para o público global.

De acordo com autoridades dos Estados Unidos consultadas pela CNN, o ataque é de autoria israelense. Ainda segundo o oficial, Israel teria notificado os EUA na quinta-feira (18) sobre um ataque a ser conduzido nos dias seguintes.

Os americanos, no entanto, não teriam dado “sinal verde” para uma resposta israelense, informou outro oficial sênior dos Estados Unidos à CNN.

Em Israel, nenhuma autoridade se responsabilizou ou comentou o ataque até a última atualização desta reportagem.

No Irã, oficiais e a mídia alinhada ao governo têm tentado amenizar o tom do incidente, até o momento.

De acordo com um oficial de Teerã, capital iraniana, as forças de defesa do país interceptaram três drones após o reporte de explosões próximas a uma base do Exército, na província central de Isfahan, a 340 km de Teerã. Não foi reportado nenhum tipo de ataque de míssil, segundo o oficial.

O forte estrondo próximo a Isfahan teria sido causado pelo “sistema de defesa aérea disparando contra um objeto suspeito”, disse um comandante militar iraniano. A agência de notícias Tasnim, alinhada ao governo, acrescentou que não houve “dano ou incidente”.

Ainda de acordo com a mídia iraniana, todas as estruturas próximas a Isfahan estão seguras, incluindo instalações nucleares. O órgão de fiscalização nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou que nenhuma instalação nuclear do Irã foi danificada.

O ataque ocorreu após uma ação iraniana inédita contra Israel, no último fim de semana. Segundo autoridades de Teerã, foi uma retaliação por um ataque aéreo realizado contra a embaixada do Irã na Síria, no dia 1º de abril. Há suspeitas de que o ataque, que matou oficiais iranianos, seja de autoria israelense.

A represália marcou a primeira vez em que o Irã lançou um ataque direto contra Israel a partir de seu território.

Diversos países, inclusive os Estados Unidos, pediram cautela a Israel após a retaliação iraniana. Há um receio de que ocorra uma escalada do conflito, uma vez que a guerra de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza já aumentou a tensão na região.

Horas depois dos primeiros reportes de explosões no Irã no começo desta sexta-feira, o ministro das Relações Exteriores iraniano, Hossein Amir-Abdollahian, advertiu que a resposta de Teerã a quaisquer outras ações militares de Israel seria “imediata e em nível máximo”.

Os detalhes de uma potencial “resposta máxima” já foram planejados pelas forças armadas do Irã, acrescentou o ministro.

A mídia iraniana, no entanto, parece tentar amenizar a severidade do ataque. Fotos e vídeos de cenas calmas em Isfahan e na cidade de Tabriz, no noroeste do país, têm sido publicadas por diversos veículos.

Uma fonte regional de inteligência com conhecimento sobre o poder de reação do Irã disse que não havia expectativa de que Teerã respondesse aos ataques – mas não apresentou nenhuma razão.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner