BRAIP ads_banner

Defesa de dono do Porsche oferece salário mínimo como reparação e família de vítima manifesta repúdio

CasaNotícias

Defesa de dono do Porsche oferece salário mínimo como reparação e família de vítima manifesta repúdio

Jornalista do Twitter Files diz no Senado que Moraes “parece agir como legislador“
Saiba como assistir ao show de Ludmilla no Coachella neste domingo
Salário-maternidade não precisa de assessoria; veja como pedir

O empresário Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos, que causou um acidente que matou o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana no final do mês de março ofereceu um salário mínimo por mês no valor de R$ 1.412,00 como ajuda de custo para a família da vítima, que respondeu manfestando repúdio e indignação “diante da barbárie a que foi vítima o trabalhador e exemplar pai”, segundo nota enviada na tarde desta sexta-feira (12).

O advogado da família de Ornaldo, Jose Luiz, se manifestou pela primeira vez desde o início do caso em um documento que também diz: “não podemos esquecer que se trata da execução brutal de um trabalhador, que foi morto enquanto trabalhava para levar o sustento a sua família”.

“A família (da vítima) reafirma a confiança no trabalho da força policial, membros do Ministério Público e Judiciário, em representar os anseios da família e da sociedade, voltando suas atuações para elucidação dos fatos e aplicação de penalidades aos responsáveis de forma exemplar nos termos da lei” diz o trecho final da nota.

Além da ajuda de custo que foi protocolada no inquérito que apura o caso, a defesa de Fernando também juntou um comprovante do depósito no valor de R$ 500 mil a título de fiança realizado em conta judicial para “garantir eventual reparação de danos à vítima sobrevivente e aos familiares da vítima fatal”, segundo documento, foi apresentado nesta sexta-feira (12). 

Fernando Sastre também teve contra ele outras medidas cautelares que teriam que ser cumpridas 24 horas depois do recebimento da decisão, por parte da defesa do investigado. Entre as medidas, a entrega do aparelho de celular que ele utilizou na ocasião dos fatos, “onde teria recebido chamadas e mensagens de sua mãe, Daniela Cristina de Medeiros Andrade”, segundo a decisão.

A CNN procurou a defesa de Fernando, mas não obteve retorno.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner