BRAIP ads_banner

Confira 5 maneiras saudáveis de falar sobre atividade física com seus filhos

CasaNotícias

Confira 5 maneiras saudáveis de falar sobre atividade física com seus filhos

Brincar é essencial para a saúde mental das crianças; veja atividades recomendadas para cada idade
Exercício físico é fundamental para o manejo da obesidade, mas não pelos motivos que você pensa
Leptospirose, diarreia, cólera: guia traz orientações sobre doenças ligadas a desastres climáticos

Quando se trata de modelar ideias sobre atividade física para seu filho de 2 anos, a treinadora de corrida e ex-corredora profissional de longa distância Kaitlin Gregg Goodman tem cuidado com a maneira como enquadra sua própria paixão pelo esporte: é algo que ela faz por prazer.

“Quero que ele realmente pense – e saiba – que é algo que faço por diversão, pela saúde, algo que fazemos por nós mesmos. Não algo que tenho que fazer”, conta ela à Fortune, mas algo que ela tem a oportunidade de fazer.

Ela, como tantos outros adultos, entende que as relações com exercícios podem ser complexas e, muitas vezes, negativas. É por isso que Gregg Goodman está começando cedo com positividade sobre o tema com seu filho, e porque especialistas aconselham outros pais a fazerem o mesmo.

Os pais têm papel essencial na relação que as crianças desenvolvem com os exercícios físicos, algo que deve ser trabalhado desde muito cedo. Foto: Pixel-Shot/Adobe Stock

“Quando se trata de imagem corporal e exercício, nossa rede social e familiar pode ser tanto um fator de proteção quanto um fator de risco”, diz Deborah Glasofer, professora associada de psicologia médica clínica em psiquiatria no Departamento de Psiquiatria da Columbia. Isso pode começar em tenra idade, diz ela.

“As crianças são esponjas”, conta Glasofer à Fortune. “Se você ouvir seu filho usar linguagem depreciativa sobre sua aparência ou expressar ideias insalubres sobre exercício, isso deve acionar um alarme em sua mente para estar atento ao seu possível papel nisso.”

Abaixo, especialistas opinam sobre como suas palavras e ações em relação aos exercícios podem impactar crianças impressionáveis em sua vida, em qualquer idade – e como promover uma relação positiva com o exercício.

Foque no que o corpo pode fazer

Nosso corpo faz muito por nós todos os dias, mas isso pode se perder quando estamos estressados com a aparência e não nos sentindo no nosso melhor.

A terapeuta familiar licenciada Mary Beth Somich diz que é importante para os pais usarem uma linguagem que incentive seus filhos – e eles mesmos – a focar no que seu corpo pode fazer, em vez de como ele parece.

“Os pais podem ajudar seus filhos a desenvolver uma apreciação saudável por seu corpo ao discutir as forças e habilidades que seu filho possui”, ela diz à Fortune.

Mostre aos seus filhos que ser ativo pode ser divertido

A atividade física não precisa ser desgastante e desafiadora o tempo todo. Até mesmo exercícios leves são benéficos para sua saúde mental e física.

E os pais podem fazer uma variedade de atividades com seus filhos para se conectar e se manter em movimento – muitas das quais podem nem mesmo parecer exercício.

“Aventuras ao ar livre, como caminhadas na natureza ou passar um tempo no parque, esportes, festas de dança, ioga, alongamento, jardinagem. As opções são infinitas”, exemplifica Somich.

Glasofer concorda e diz que “diversão” está nos olhos de quem vê, significando que vale a pena tentar diferentes atividades juntos para ver o que funciona e o que ambos mais gostam.

“Inclinando-se para a diversão pode torná-lo menos uma tarefa”, ela diz, o que impede muitas pessoas de se exercitarem em primeiro lugar.

Evite enquadrar o exercício como uma obrigação

Exercício é ótimo por razões de saúde e longevidade, mas enquadrá-lo como uma obrigação pode levar a uma relação negativa com ele.

“É útil reformular a linguagem usada em torno do exercício dizendo coisas como ‘eu escolho me exercitar hoje’ em vez de ‘eu tenho que me exercitar hoje’”, diz Somich. “Isso cria uma sensação de empoderamento.”

Dar às crianças a escolha de fazer uma atividade também lhes dá controle, o que é uma parte chave do desenvolvimento, de acordo com a PennState Extension.

Lembre-se de que a comida não é ‘prêmio’

Atividade física e nutrição estão entrelaçadas – e dizer coisas como ‘você ganhou a sobremesa que pediu porque fez exercício’ pode fazer seu filho acreditar que ele também não merece comer a guloseima que gosta sem trabalhar por ela, diz Glasofer.

“Infelizmente, comer e exercitar são frequentemente emparelhados, e não há nenhuma grande razão para isso”, diz ela. “Não importa seus hábitos alimentares, o exercício tem benefícios psicológicos e físicos.”

Somich também enfatiza a importância de não rotular alimentos como “bons” ou “ruins” perto de crianças – ou mesmo para si mesmo. Em vez disso, reconheça que uma alimentação saudável inclui uma variedade de alimentos com moderação.

Gregg Goodman diz que presta muita atenção ao modo como enquadra ideias relacionadas a alimentos e exercícios perto de seu filho.

“Eu me certifico de não usar linguagem como ‘esta comida é uma recompensa por correr’”, diz ela. Em vez disso, ela comenta que sua comida está reabastecendo seu corpo após um esforço árduo.

Neutralidade corporal pode ser tão benéfica quanto a positividade corporal

Nem sempre é fácil gostar do que vemos no espelho. Mas Somich diz que você não precisa elogiar sua aparência para ter um impacto positivo nos seus filhos.

“Os pais podem usar linguagem positiva ou neutra, evitando discussões corporais negativas ou vergonhosas”, diz ela.

Modelar perspectivas e comportamentos positivos não tem que incluir falar positivamente sobre aquilo que não concordamos, diz Somich. É mais sobre fazer com que o discurso negativo não esteja presente.

Não é apenas o que você diz

Finalmente, lembre-se de que as crianças percebem suas atitudes mais do que você pode pensar, sugere Glasofer. “Às vezes, as ações valem mais que mil palavras”, diz ela.

E a maioria das ações não passam despercebidas nem mesmo pelos membros mais jovens da família – incluindo coisas como navegar na mídia social, olhar para diferentes rotinas de exercícios, verificar incessantemente seu rastreador de fitness ou escolher fazer um segundo treino em vez de uma atividade em família.

“Preocupações com a imagem corporal são facilmente projetadas nas crianças inconscientemente”, diz Somich, “por isso é tão importante refletir sobre a linguagem e comportamentos que você está modelando ou as mensagens que está promovendo aos seus filhos.”

C.2024 Fortune Media IL Limited / Distribuído por The New York Times Licensing Group

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Fonte: Externa

BRAIP ads_banner