BRAIP ads_banner

Câncer de rim: ele avança sem dar sinais e muitas vezes é letal; veja como prevenir

CasaNotícias

Câncer de rim: ele avança sem dar sinais e muitas vezes é letal; veja como prevenir

Esclerose lateral amiotrófica (ELA): entenda a doença que causa fraqueza e perda dos movimentos
Intolerância x alergia alimentar: quais as diferenças?
Governo de SP vai usar o ChatGPT na produção de aulas dos ensinos fundamental e médio

O câncer de rim matou mais de dez mil pessoas entre 2019 e 2021 no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). É um número expressivo para um espaço de tempo de três anos. Para piorar, além de letal, essa doença também é silenciosa. Muitas vezes os sintomas sequer se manifestam antes de o quadro se tornar grave. Essas características preocupantes impulsionaram a SBU a articular, para todo o mês de junho, a primeira edição de uma campanha de alerta sobre a condição.

Dor nas costas está entre os possíveis sintomas do câncer renal Foto: anut21ng Stock/Adobe Stock

A instituição vai promover aulas sobre o tema nas diferentes regiões em que possui associados, além de já estar divulgando posts, vídeos e lives em suas redes sociais com especialistas esclarecendo dúvidas sobre o câncer renal, fatores de risco e a importância do diagnóstico precoce. Os conteúdos podem ser encontrados no Instagram da SBU.

“Queremos chamar a atenção para a importância de um estilo de vida saudável, que está relacionado aos fatores de risco modificáveis desse tumor. Evite fumar, exercite-se regularmente, mantenha a pressão arterial sob controle e adote uma dieta equilibrada”, orienta o urologista Luiz Otávio Torres, presidente da SBU.

Fatores de risco

O conselho sobre hábitos é importante. Metade desses tumores ocorrem em fumantes ou ex-fumantes. Além disso, as principais ameaças são sedentarismo, obesidade e hipertensão. De acordo com comunicado da SBU, devido à alta prevalência dessas condições entre as pessoas, além do envelhecimento da população, acredita-se que a incidência desse câncer esteja aumentando em todo o mundo. Na verdade, a preocupação é geral: segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), teremos um aumento de mais de 70% na incidência de doenças oncológicas até 2050.

O risco é maior para os homens, que são os mais afetados pelo câncer renal. Entre eles, de 2019 a 2021, foram mais de 6.700 mortes. Já entre as mulheres, foram 4.090 mortes nesse mesmo período. A doença é mais comum em pessoas com idade entre 50 e 70 anos, mas vale destacar que crianças também podem desenvolver esse tipo de tumor, responsável por cerca de 7% dos cânceres pediátricos.

Quando procurar o médico?

Em estágio inicial, esse câncer não costuma apresentar sintomas. Por isso, Torres diz que ele costuma ser descoberto por um acaso. O tumor tende a aparecer em exames de imagem (como um ultrassom abdominal) solicitados para averiguar outras condições.

Por isso, segundo o médico, o aconselhado é que as pessoas façam checkups anualmente, principalmente depois dos 50 anos. Entre os exames, o médico indica a realização da ultrassonografia do aparelho urinário. Mas ressonância magnética e tomografia do abdômen também podem ser solicitados para o diagnóstico.

Apesar de ser uma doença silenciosa, Torres destaca que um sinal comum do câncer de rim é a presença de sangue na urina. Outros sintomas que podem estar associados à condição são:

• Dor na lateral da barriga e/ou na lombar

• Dor nas costas

• Inchaço abdominal e nas pernas

• Presença de uma massa no abdômen ao apalpar

• Sangue na urina

• Febre

• Perda de peso

• Perda de apetite

• Anemia

• Cansaço

Tratamento

Dependendo do estágio do tumor, o tratamento pode incluir opções como imunoterapia, quimioterapia, radioterapia, além de cirurgia para remoção do órgão ou parte dele. Segundo dados do Sistema de Informações Hospitalares do Ministério da Saúde, entre 2019 e março de 2024, mais de 11 mil cirurgias de remoção total dos rins e 6 mil de remoção parcial foram realizadas.

Roni Fernandes, diretor da Escola Superior de Urologia da SBU, destaca que o plano de tratamento ideal depende de diversos fatores. Além do estágio, é considerada também a localização das metástases (quando as células do câncer vão para outras partes do corpo, formando novos tumores), o estado de saúde geral do paciente e suas preferências pessoais. “É importante discutir todas as opções de tratamento com uma equipe médica especializada para tomar a decisão mais adequada ao caso individual”, ressalta.

O câncer de rim corresponde a cerca de 3% dos tumores malignos urológico. A campanha da SBU escolheu o mês de junho para veicular a campanha porque no dia 18 é celebrado o Dia Mundial do Câncer de Rim.



Fonte: Externa

BRAIP ads_banner